Is that all there is?

< Peggy Lee, 1969 >

 

É só isto, afinal? Porque se é só isto, meus amigos, então mais vale beber um copo, fazer a festa e dar um pé de dança.

Um dia apareceu uma geringonça que anunciava um fogo vermelho que varreria para debaixo do tapete da História a austeridade e faria renascer o Estado social. A expectativa era grande, a euforia, geral. Por isso as pessoas ficaram sentadas, pasmadas, à espera desse incêndio renovador. Esperavam nada uns, tudo outros: a revogação das leis laborais da Troika, a reabilitação do sistema nacional de saúde, o regresso da democracia às escolas, a desfundação das universidades, uma política de habitação digna desse nome, a reposição do poder de compra, o fim da precariedade laboral, …

Mas, acabada a época e feitas as contas, tudo estava na mesma. Fora apenas um grande fogo de vista, com muita humilhação à mistura.

[CORO]
É só isto, afinal, a geringonça?
Porque se é só isto, meus amigos, então esqueçam as urnas, mais vale beber um copo, fazer a festa e dar um pé de dança.

 

< Elizabeth Gillies >

 

Quando o bicho mau atacou, a ciência teve um rasgo de génio e fez maravilhas num tempo recorde: inventou novos métodos, novas técnicas, novas vacinas, novas esperanças (ainda que alguém tenha dito, salvo erro Camus, que nada é mais perigoso para a transformação do mundo do que a esperança).

Mas, acabada a época e feitas as contas, descobriu-se que o que parecia mais difícil (o progresso científico) foi afinal o mais fácil. E que o que parecia fácil (aplicar e partilhar o conhecimento científico) é afinal o mais difícil.

[CORO]
É só isto, afinal, a solidariedade institucional e a partilha do conhecimento?
Porque se é só isto, meus amigos, então esqueçam a peste, esqueçam cautelas, esqueçam vacinas, mais vale beber um copo, fazer a festa e dar um pé de dança.

 

< Bette Midler >

Quando instauraram um megaprocesso à volta do eng. Sócrates, até parecia que vinha aí a justiça a galope, que estávamos às portas do fim da podridão, da corrupção, da lavagem de dinheiro sujo, do compadrio entre grandes empresas e figuras do Estado.

Mas, acabada a época e feitas as contas, tudo prescreve na casa da justiça, especialmente quando o peixe é graúdo.

[CORO]
É só isto, afinal, um megaprocesso?
Porque se é só isto, meus amigos, então esqueçam a justiça, mais vale beber um copo, fazer a festa e dar um pé de dança.

 

< Amanda Lear >

Partilhar Artigo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on google
Google+

Deixe o Seu Comentário!