Quantos planetas há na nossa galáxia?

Actualmente conhecemos a existência de milhares de planetas. Tal conhecimento deve-se ao observatório Kepler que a NASA colocou em órbita em 2009 que tinha, precisamente, essa missão como missão primária. Foi graças ao Kepler que confirmámos que os planetas são uma realidade comum na nossa galáxia.

Até agora o Kepler revelou mais de dezenas de milhar de possíveis planetas nas cem mil estrelas mais brilhantes da galáxia dos quais perto de 3 mil foram confirmados como planetas. Alguns dos quais na dita “zona habitável” das suas estrelas (nem demasiado longe, nem demasiado perto do seu sol e na zona em que a permanência de água líquida é possível).

De notar que o Kepler não é capaz de observar toda a galáxia mas apenas uma pequena fracção do firmamento e, mesmo assim, apenas consegue observar alguns dos planetas que se encontram nesse sector. Extrapolando para o resto da galáxia estima-se que a galáxia contenha mais de 50 mil milhões de planetas dos quais 500 milhões (!) se encontrarão nas “zonas habitáveis” das suas estrelas.

Estimam-se, portanto, 500 milhões de planetas habitáveis na nossa galáxia. Ora se existem 2 triliões de galáxias no universo falamos de muitos planetas… se as suspeitas de vida nos satélites dos planetas gigantes do sistema solar se confirmarem (Titã, Europa e Ganimedes) então isso significa que pode existir vida muito para além da “zona habitável” e então falaremos de números ainda maiores…

Para além da distância em relação à sua estrela a posição do sistema solar onde se encontra o planeta na galáxia também influencia a sua capacidade para albergar vida. A proximidade do centro galáctico é importante, pensando-se que aqueles que estão nas extremidades da galáxia são pouco propícios a tal. Contudo, não deve estar demasiado perto devido à presença de estrelas supermassivas, antigas que estão prestes ou a explodir em supernovas que podem inundar de radiação os planetas vizinhos.

Os locais mais adequados à presença de vida são os braços da espiral da Galáxia, não demasiado próximo, nem demasiado longe do núcleo galáctico. A designação e amplitude são controversas mas estima-se que a “Zona Galáctica Habitável” corresponda a cerca de 10% da nossa galáxia e, dentro desta, deverá restringir-se anda mais à zona zona com menos estrelas: ou seja, algo em torno do 1% do total de estrelas da galáxia.

1% do total de estrela da galáxia parece pouco. Mas isso significa que existirão 17 mil milhões de planetas semelhantes à Terra e 100 mil milhões de planetas (incluindo gigantes gasosos como Júpiter). Isto quer dizer que em cada uma de seis estrelas que consegue observar a olho no encontra um planeta rochoso como a Terra na sua órbita.
Ou seja: muitos planetas rochosos. Com números tão grandes qual é a probabilidade de a vida não ser comum na nossa galáxia?…

Fontes:
https://www.thoughtco.com/counting-habitable-planets-3072596
https://pt.wikipedia.org/wiki/Kepler_(sonda_espacial)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gal%C3%A1xia
https://www.uol.com.br/tilt/ultimas-noticias/redacao/2013/07/02/qual-e-o-numero-estimado-de-planetas-estrelas-e-galaxias-no-universo.htm

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s